Life,  Philosophy,  Serendipity

A Consciência do que não existe

Gosto de observar o que não vejo, seja com os olhos, seja o que está numa folha de papel, seja dos ouvidos de alguém.

Questiono o universo, e a sua lógica com vigor, a energia, a astrofísica, a quântica e tudo o que faz desenhar a terra cômoda. Observo o poder das emoções (que não vejo) no meu corpo, questiono as notícias da TV.  Não acredito, e sabe tão bem não racionalizar sequer. Observar pelo simples fascínio universal de tudo o que é mundano.

Já imaginou se questionasse tudo aquilo que ouve, que vê, que aprendeu, que dá por adquirido? [Quase] tudo o que nos passam é paradigma. [Quase] tudo o que descobrimos é fruto dos nossos paradigmas. [Quase] tudo o que aprendemos é resultado da forma como o nossos cérebro está formatado. Somos o produto de um aperfeiçoamento padronizado. 

A vida é mais de perguntas que de respostas.

A vida é bem mais de apreciar que descobrir.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

WhatsApp chat